FLUOXETINA – O QUE VOCÊ PRECISA SABER

A Fluoxetina foi o primeiro antidepressivo da classe dos Inibidores Seletivos da Recaptação da Serotonina (ISRS), uma verdadeira revolução para o tratamento da depressão, que antes contava com antidepressivos com muitos efeitos colaterais para os pacientes.

Descoberta na década de 80, com o nome de Prozac, era chamada a pílula da felicidade, e influenciou até livros e filmes por todo o mundo.

Geração Prozac (2011) – Retrata uma revolução no tratamento da depressão

No Brasil é uma medicação acessível financeiramente e está disponível gratuitamente no SUS.

As doses habituais variam de 20 a 40mg/dia, mas doses maiores até 80mg também podem ser necessárias. A dose ideal varia conforme a indicação e de pessoa para pessoa.

PRINCIPAIS INDICAÇÕES

Transtornos Depressivos
Transtorno Obsessivo Compulsivo
Transtornos de Ansiedade
Bulimia e Compulsão Alimentar
Outros

A fluoxetina pode ser ingerida com ou sem alimentos, quando ingerida junto da alimentação o tempo de absorção pode aumentar, mas a eficácia da medicação permanece a mesma. Ela possui apresentações em comprimidos, cápsulas e gotas.

Algumas pessoas podem ter azia ou queimação com o uso – principalmente na apresentação em cápsulas – o que pode ser contornado pela troca por comprimidos ou gotas. Ingerir durante ou logo após as refeições costuma ajudar nesse efeito colateral também.

A Fluoxetina permanece por muito tempo no sangue da pessoa, até 2 ou 3 dias, de forma que não costuma haver síndrome de abstinência quando a pessoa esquece de ingerir (o que é comum na Paroxetina e Venlafaxina, por exemplo).

A retirada da medicação também é mais fácil por ter esse tempo de permanência no sangue bastante longo.

EFEITOS COLATERAIS MAIS COMUNS

Náusea, Dor de Cabeça, Diminuição do Apetite, Diminuição da Libido, Dor Abdominal, Insônia, Irritabilidade, Apatia e Suor excessivo.

GRAVIDEZ

É considerada segura na gestação.

Não há comprovação de má formação ao feto induzida pela Fluoxetina.

Quando usada no fim da gestação podem ocorrer sintomas transitórios de retirada do medicamento no recém nascido (tremores, dificuldade de amamentação, irritabilidade e aumento da frequência respiratória).

AMAMENTAÇÃO

A Fluoxetina é secretada no leite materno.

Apesar de relatos de sintomas de irritabilidade, dificuldade de amamentação, insônia e aumento do choro dos bebês em fase de amamentação, a Fluoxetina pode ser usada durante a amamentação, desde que devidamente acompanhada a mãe e a criança.

IMPORTANTE: Esse blog é voltado para o público geral, de forma que é utilizada uma linguagem simples e acessível, as informações disponíveis não substituem uma consulta psiquiátrica ou avaliação individualizada sobre seu caso. Converse com seu psiquiatra para seu tratamento individualizado.

Dr. Manoel Vicente de Barros – Psiquiatra em Cuiabá

https://www.instagram.com/dr.manoelvicente/

http://www.ipec.med.br/