Precisamos enxergar a cultura do cancelamento

Hipermetropia é o defeito visual que desfoca a visão para perto. O horizonte e a imagem geral permanecem nítidos, mas detalhes demasiado pequenos se tornam indecifráveis. 

Ao enxergar processos sociais e culturais todos sofremos dessa dificuldade para enxergar de perto. Conforme nos distanciamos historicamente, ganhamos clareza. 

Eis que nos últimos anos parece emergir, ainda meio turvo, um novo fenômeno social: a cultura do cancelamento. 

Cancel Culture Is Not Real—At Least Not in the Way You Think | Time

O embrião foi a “call out culture”, que é a exposição pública de quem comete um ato censurável. “Call out” é o ato de tirar satisfação, chamar à fala para uma explicação. 

Era mecanismo de censura moral por movimentos identitários, mas também de pressão a uma inflexão e mudança de comportamento. Com as redes sociais em que número de seguidores é fonte de monetização, ignorar, ao menos teoricamente, gera prejuízos.

Os alvos prediletos são políticos, artistas e jornalistas. Em uma tentativa de gerar dano financeiro, ou para simplesmente não se incomodar por um posicionamento antagônico ao seu, excluímos tudo o que essa pessoa futuramente diga.

Cancel Culture Is Only Getting Worse

Boicote é um ato legítimo, com propósito e desejadamente temporário até que o alvo ceda ou se retrate. Deixar de consumir ou seguir alguém pode fazer parte do diálogo social.

O cancelamento em sua forma extrema, no entanto, retira totalmente a pessoa das redes sociais e de todo conteúdo que se consome. Aos poucos se estende a outras esferas da vida. 

Nunca mais ouvir músicas do cantor cancelado, não ler aquela revista, jamais escutar a opinião do político em quem você não votou na última eleição.

Como um ponto cego, deixamos de enxergar a existência do dissonante, o pensamento diferente se torna inexistente e o resultado é reduzir seu campo de visão. Sem qualquer busca por diálogo ou retratações.

O outro lado, por consequência, terá contato apenas com quem aplaude seu ponto de vista. Duas pessoas que não se enxergam vão viver na ilusão de ótica que a outra não existe. Se existe, não tem absolutamente nada em comum comigo. 

A Parent's Guide to Cancel Culture, Explained by a Teenager | Parents

Uma cegueira voluntária que, na contramão de uma chamada de atenção, é uma tentativa de punição, não uma proposta de reforma. 

Está implícito que outro ser humano é incorrigível, que mudar de opinião é incoerência e ai de quem rever seu pensamento daqui a alguns meses.

Podemos não enxergar agora as consequências sociais de não consumir  tudo o que vai contra seu alinhamento ideológico, certamente veremos com maior clareza em alguns anos, mas é difícil imaginar um desfecho positivo à criação de bolhas políticas e culturais.

Conforme envelhecemos o risco de desenvolver hipermetropia aumenta, precisamos de óculos ou ajuda de alguém mais novo para letras miúdas, em compensação, é possível enxergar o quadro maior, ver além, e até imaginar o que está por vir.

Uma sociedade que não dialoga e não consegue concordar com fatos básicos sobre a realidade porque as fontes discordantes não merecem ser ouvidas dificilmente acabará bem.

What bubble of Maltese society do you belong to? | Random thoughts

Não queremos ser estudados em alguns séculos como uma civilização de bolhas, que só ouvia quem reafirmava suas crenças e não percebeu que isso era uma ameaça à trama social e democracia tão duramente construída.

Portanto, mantenho lendo jornais cuja linha editorial não me agrada,  propostas dos políticos que jurei nunca votar e seguindo o cantor que já disse muita besteira.

Com a visão do todo é possível enxergar mudanças, em nós e nos outros. E você, quem vai descancelar hoje?

Dr. Manoel Vicente de Barros – Psiquiatra em Cuiabá

https://www.ipec.med.br/

https://www.instagram.com/dr.manoelvicente/


Publicado por

Manoel Vicente de Barros

Médico Psiquiatra em Cuiabá - Mato Grosso / Medicina pela Universidade Federal de Mato Groso (UFMT) / Aperfeiçoamento em Psicogeriatria pela USP / Observership em Estimulação Magnética Transcraniana (EMTr) na Toronto University no Canadá / Instagram: @dr.manoelvicente / Facebook: dr.manoelvicente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *